Inscreva-se já

Inscreva-se já

Inscreva-se já no nosso ginásio

Dietas Restritivas ou Estilo de Vida Equilibrado?

01.04.2019


DIETAS RESTRITIVAS OU ESTILO DE VIDA EQUILIBRADO?

 

 

À luz da atual crise de obesidade, a prevenção do ganho de peso e a sua manutenção tornaram-se uma grande preocupação da sociedade.

Existe uma dieta ideal para atingir esse objetivo?

 

O número de dietas para a perda de peso tem aumentado muito ao longo dos últimos anos, concomitantemente com o aumento elevado de pessoas com excesso de peso, especialmente com obesidade.

 

Atualmente, existem inúmeras dietas para a perda de peso, que na sua maioria altera a composição dos macronutrientes (proteína, hidratos de carbono - glícidos, e gorduras - lípidos), principalmente para a elevada restrição dos hidratos de carbono ou para a limitação do consumo de gorduras, independentemente da sua fonte alimentar. Estes tipos de dietas ganham popularidade pela promessa de resultados rápidos. Ainda assim, para a maioria delas não se sabe a eficácia e segurança a longo prazo, bem como a sua capacidade de melhorar parâmetros associados ao risco cardiovascular.

 

Várias pesquisas têm demonstrado que as dietas com baixo teor de hidratos de carbono promovem uma maior perda de peso a curto prazo comparativamente com as dietas com baixo teor de gordura. Contudo, esta perda ponderal não é sustentada a longo prazo. Por outro lado, as elevadas restrições de gordura, têm demonstrado ser insignificantes para a perda ponderal a longo prazo, para além de não oferecem qualquer benefício na melhoria dos parâmetros de risco para a doença cardiovascular.

Muitos estudos defendem que a dieta mediterrânea é um modelo de alimentação que tem demonstrado melhorar os fatores de risco cardiovasculares bem como o risco de doenças crónicas. Ainda assim, os efeitos no controlo do peso a longo prazo não são significativamente demonstrados.

 

De um modo geral, uma dieta equilibrada que promova uma perda de peso sustentável tem em consideração alguns fatores, nomeadamente:

-   promoção do aumento da atividade física;

-   diminuição do consumo de refeições rápidas;

-   variabilidade dentro dos vários grupos alimentares;

-   elevada ingestão de hortofrutícolas;

-   adequada ingestão de produtos de origem animal.

 

Estes cuidados podem prevenir o ganho de peso, podem resultar na perda de peso e na sua manutenção em quem apresenta excesso ponderal, para além de reduzirem o risco de doenças crónicas.

 

É, cada vez mais, importante assumirmos a dieta como a base das nossas escolhas alimentares diárias ao longo da nossa vida e não como um plano restritivo que temos de seguir durante determinados dias, semanas ou meses.


Susana Francisco
Nutricionista

© 2019   Todos os direitos reservados   Politica de Privacidade Seara.com