Inscreva-se já

Inscreva-se já

Inscreva-se já no nosso ginásio

SUPLEMENTOS DE PROTEÍNA

19.09.2017


Todos nós nos deparamos com uma quantidade infindável de suplementos de proteína e de aminoácidos quando tomamos a decisão de iniciar a toma deste tipo de produtos, por uma necessidade específica, normalmente associada a recuperação após o treino, promoção do crescimento de massa muscular ou substituição de alimentos proteicos por intolerância, preferência ou disponibilidade. Na verdade, a gama e a quantidade de proteína e aminoácidos disponível no mercado é muito grande, podendo mesmo tornar-se confusa.

De um modo geral, os suplementos de proteína podem ser classificados de acordo com a proveniência do seu perfil nutricional, havendo assim quatro tipos principais de proteína: 

Proteína de Soro de Leite

Também conhecida por Proteína Whey, é uma proteína de alto valor biológico, uma vez que contém na sua composição todos os aminoácidos essenciais (aminoácidos que o nosso corpo não consegue produzir e que, por isso, têm de ser fornecidos por via alimentar). Destes aminoácidos destacam-se os BCAA’s (aminoácidos de cadeia ramificada - leucina, isoleucina e valina), que estão presentes em grande quantidade nesta proteína. É uma proteína de rápida absorção, ideal para momentos pós-treino, permitindo uma rápida recuperação.

A proteína de soro de leite está disponível em 3 formatos:

- Concentrada - contém cerca de 70-80% de proteína, correspondendo o restante a pequenas quantidades de lactose e gordura.

- Isolada - é composta por cerca de 90% de proteína e apresenta quantidades mínimas de lactose e gordura. Devido ao processo de fabrico mais refinado, torna-se mais dispendiosa que a forma anterior.

- Hidrolisada - é uma proteína que deriva da forma anterior, mas caracteriza-se por ter péptidos e cadeias de aminoácidos mais curtos, resultando num processo de digestão mais rápido e por consequência, numa absorção mais rápida que as anteriores. Contudo, não há evidência científica que comprove esta situação.

 

Caseína

Tal como a anterior, é uma proteína de alto valor biológico, extraída do leite.
O que difere da Proteína de Soro de Leite é, essencialmente, a velocidade de absorção. Esta proteína é mais demorada de absorver, uma vez que em meio ácido (como o nosso estômago, por exemplo) a caseína forma um coágulo, dificultando a sua digestão e, consequentemente, resultando numa absorção mais lenta dos aminoácidos. Desta forma, não é uma opção tão válida para momentos após o treino como a anterior, mas sim para fases do dia onde é necessário este tipo de absorção.

 

Proteína de Soja

A proteína derivada desta leguminosa, a soja, é uma proteína vegetal de alto valor biológico, com uma rápida velocidade de absorção. Tornando-se uma excelente opção para substituir a proteína animal, por motivos de intolerância, alergia, ou apenas de preferência.

Tal como a Proteína de Soro de Leite, também esta proteína está disponível na forma concentrada e isolada.

 

Albumina do Ovo

Esta última proteína, é extraída do ovo, sendo praticamente isenta em gordura e hidratos de carbono. Tal como todas as proteínas de origem animal, é uma proteína de alto valor biológico, fornecendo-nos todos os aminoácidos essenciais.

A grande desvantagem desta proteína é o seu elevado custo, comparativamente com as anteriores.

Para além destes suplementos com perfil nutricional associado apenas à proteína, estão também disponíveis no mercado suplementos com a combinação de proteína e hidratos de carbono, bem como suplementos proteicos com a adição de substâncias ergogénicas, nomeadamente creatina, aminoácidos específicos, vitaminas e minerais.

De acordo com a sua necessidade e com as características da proteína, faça, de uma forma informada, a melhor escolha para a sua situação.

 

 

Nutricionista Susana Francisco

Membro da Ordem dos Nutricionistas, nº 3215N

© 2017   Todos os direitos reservados   Politica de Privacidade Seara.com